segunda-feira, 2 de maio de 2016

Escolha IR.



Sempre a vida foi muito clara. E seguir sempre diante de suas escolhas não era algo tão complicado. Optar era a maneira de escolher sempre analiticamente um dos seus planos magníficos de uma boa vida, mesmo com os medos intentáveis de errar e precisar recomeçar outra vez, prosseguia (sempre).
     
Em detrimento disso, e através de alguns fatos que nós levam a desacreditar tantas vezes no que é de verdade quando realmente o agora é tão real que dança aos nossos olhos implorando o acreditar. Isso, porque decidimos guardar o coração para tudo e consequentemente parar tudo dentro de nós.
      
A paralisia do tempo ao redor e de seus sentimentos, propõem aos seus olhos e ao seu coração a necessidade de voltar e deixar-se tocar, pois só assim a vida retoma a cor. E é preciso que se entenda que as permissões que precisa para o start na vida dependem apenas de cada um de nós.

Como já propunha Heidegger, é dentro de uma infinita possibilidade de escolhas que adentramos nas angustias que passamos que nos permitem então escolher em ter uma vida autentica ou automática.

É nos nossos infinitos medos e pensamentos ainda que nos domingos para segundas, pois tudo é válido e nos mostra que podemos nos encontrar dentro de nós ou nos perder ainda mais ao deslogar-se em busca de sentidos.

E apesar de entender que o risco que corremos de estar em pedaços ou com o coração tão apertado ao ponto de querer fugir como um balão que se esvazia e se esvai, a corrente de energia em ir e deixar-se tocar sempre é mais forte e nos impossibilita contestar.

Deixou se tocar, viu mais, viu verdades e percebeu que, a vida é clara quando estamos com os olhos do coração dedicados ao ver o que se é real e principalmente sentir. Ainda que, as expectativas imaginárias que nos rodeiam sejam como muros fortes e consolidados em volta do coração.

É nessa decisão de entrar na dança e viver a entrega diária, com medo, sem medo, com sentimentos a flor da pele, com olhares, com intensidade que nos revelam que a importância está em descobrir como escolher em ir, e indo agraciar cada parte desse itinerário, se descobrindo e se refazendo com todos os pedaços e os sentimentos mais intensos para cada passo.

Afinal, a vida é uma escolha em busca do sentIR, e o sentir é real.

Foto:Reblogagem https://www.tumblr.com/blog/truefeel


Um comentário: