domingo, 15 de novembro de 2015

Isso não é um cachimbo.

rené margritte




Se permita ser, na veracidade das questões  e opiniões que nos rodeiam hoje, seja. Não se considere sempre ousadamente certo, menos ainda se apegue aos fatos irresistíveis que te ficam no orgulho do certo pelo certo, ou no antes que sempre te impedem de seguir a descoberta dos dias. 

Seja você mesmo nas suas loucuras, faltas, medos e nas mudanças que te cercam. Pare de olhar os outros, para de olhar os guias de redes e não os culpe pela falta das horas que são levadas enquanto permanece tentando ter. 

Faça-se presente naquilo que realmente quer estar e vivenciar, brigue pelo melhor e não pela razão. Se acharem em ti loucura,  não se esconda, mostre as flores guardadas dentro de você e cure o que há no caminho, afinal o que é normalidade?

Não te guarde atrás dos muros, nem ao menos viva socialmente bem. A vida não é uma conquista diária de likes sociais, mas deve ser a gratidão de poder ser quem se é e ser amado ainda assim na vida real, sem muros, sem filtros e distâncias.

Seja mais do que a representação social dos dias, seja você, com dores, com opiniões próprias , percepções só suas, amores e sorrisos infames e sua história. Espalhe as flores no caminho e cure essas dores do dia- a -dia. 

Não se omita e permita-se. 

Tenha sempre o interesse de ser mais do que se é, mais além daquilo que se vê e do que os outros vêem e acham que sabem sobre ti e ao final perceberás que não sabem, e que até mesmo você se descobre, se reinventa a cada nova permissão desse viver.

Isso não é um cachimbo, como já disse René Magritte

E você sempre será muito além de quem te observa e enumera questões sobre você.



* Em 1929, o artista surrealista belga René Magritte fez uma obra que nos faz pensar sobre o objeto em si e sua representação. É sobre representação e não sobre o objeto do pensamento em si que incide a charge. 

2 comentários:

  1. Amei, ficou lindo, flor ❤️����

    ResponderExcluir
  2. Fico feliz em saber que o tempo só aguçou a doçura que lhe acompanhava nos tempos do colégio.

    Parabéns pelo texto e não pare de escrever!

    Abs

    ResponderExcluir