quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Vitrine.



A surpresa não está tão devidamente ao encontrar novas situações, mas na atitude do outro formada de expectativas. Talvez, a surpresa efetiva esteja em dar ou perder.
Não ter medo de dar-se e doar-se faz de cada um, um corajoso. Com definições de: Aquele que se arrisca, eu arrisco no caso esse palpite.

Bem sei, que é como se houvesse ainda a possibilidade de se ter cds, e em outra época por discos, mas nesta Era cds são objetos de consumo raríssimos. E raro cito, não de se encontrar um cd, porque ele está lá nas vitrines esperando alguém. Raro mesmo é ter alguém disposto a comprar ainda a ideia de te-lo, e tendo não só usa-lo como um objeto de coleção em uma estante sem toque, e sem uso.

Assim, como o cd que tem algumas vertentes epistemológicas se for para discorrer de seu sentido, se é de um ter ou ser o objeto em si, são metáforas futuras desta vista que pode compreender o dar-se ou perder- se e que tudo depende se você acredita no que quer comprar e ter.

Uma pessoa, não se pode "comprar" no sentido literal, sabemos que há possibilidades ainda assim de compra organizacionais, de valores, de crenças, de partido, do sabor da pizza talvez.
Mas não se compra uma pessoa com o que sente, e não se pode pagar para que este alguém sinta.

Os sentimentos, não estão em bancas ou em em algum pote mágico escondido em uma loja de artefatos antigos, os sentimentos estão no nascer e no morrer, sendo aprendidos desde o primeiro sorriso de felicidade dedicado ao filho ou no choro em dar adeus.

Tudo se aprende, e seria demasiadamente crítico se a compra de sentimentos fosse livre para cura de expectativas do que se tem e do que se desejava outrora ter. Porque nos enganamos demais ao pensar no outro como parte inteiramente nossa na vitrine da vida esperando o toque para então reproduzir o que queremos, como aquele cd.

Coragem afinal está em se arriscar a ouvir a melodia e sentir através da musica o cd que decidiu fazer tocar, em algumas musicas rir ou chorar, mas no final ter certeza que valeu a pena doar tempo na escuta e na entrega diante de cada som. E que se perder um dia, não há problema porque esteve lá, de forma integral e não apenas na vitrine vendo sentimentos a flor da alma e querendo ser um deles.

Viveu, sentiu, chorou. Viveu, e ainda terá mais doze musicas para tocar e uma faixa extra.




Nenhum comentário:

Postar um comentário