quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Sobre encontros e desencontros.




Não há formulas certas e se elas existissem a verdade é que estariam esgotadas, pois quem nunca sonhou acordado ao menos um dia, ou um dia inteiro, vários dias, vários sonhos acordados ou não em estar com alguém? conectado? entrelaçando os dedos, amando com os olhos o ombro dedicado e lábios tão sedutores... 

Todos, muitos, vários, todos.

Era pra ser par, era pra ser dois, e por vários momentos os encontros mais sedentos de amor com alguém te proporcionaram lembranças inesquecíveis, que ditadas por você nunca podem ser esquecidas, de tão marcante que fora tais momentos, minuciosamente captados pela sua mente desvirtuante cheia de amor.

Não sei quantos encontros já tive, o quanto já quis e torci pra que desse certo, pra que fosse amor, quando foi amor, quantas vezes a pessoa do outro lado jogou fora? quando estava virando amor, uma das partes sentiu medo, quando estava a ser amor se achou prioridades antes nunca imaginadas, se viu possibilidades, olhares, paixões. Não virou amor, e quando foi, foi embora junto com a decisão de alguém.

Quantas vezes encontrei alguém, mas tive medo de seguir e me entregar e pensar  e se for você? o que estou fazendo com esse medo que freia... Desencontro.
Quantas vezes foi pra sempre, e nem era. Quantas vezes era como ganhar na loteria ao ver a mensagem, a ligação perdida, a saudade escrita, o verso de uma canção, o pedido da volta. Encontro.
Quantas vezes achei em alguém a minha trilha sonora tão perfeita e inédita, mas tive que decidir em dançar uma musica desconhecida, e me entregar não foi prioridade. Desencontro.
Quantas vezes eu topei sair tarde da noite, de madrugada, segundas e mais, só para estar contigo ouvindo teu silêncio, e a tua pedida era sempre mais um beijo. Encontro.
Quantas vezes eu me entreguei, mas alguém do outro lado teve medo também, não assumiu, não viu, não quis, por tantos motivos, por mil outros amores, por mais alguns dias, mas não foi. Desencontro.

Era pra ter fórmulas, se cientistas pudessem parar de pesquisar e sair por ai encontrando, desencontrando, nessa vida, nos dias, nas noites, as madrugadas, aqui ou território internacional.
Era pra ter, as vezes penso que o amor já passou por mim tantas vezes, mas nesse labirinto de interesses, emoções, prioridades, idades, alturas, certezas e incertezas, vivo me encontrando com alguém, que na verdade ainda não me achou nessa maré de desencontros, como diz na musica " espero amar você até durar" mas que dure, fique e não vá. Encontre em mim abrigo sem partida, sem dia pra voltar.

Sem fórmula, sem partidas, sem idas e vindas, com algumas brigas, com lealdade, com intensidade, com mar, com filme, com encontro de dois corações na mesma canção.


Nenhum comentário:

Postar um comentário