sábado, 3 de novembro de 2012

Sonho de um dia.




A menina, vestiu o vestido mais bonito que considerava ter, colocou alegria no rosto para ver o moço, com o coração pulsante e o frio na barriga já familiar.
Ah, o moço, ele viu ela arrumada demais, perguntou, onde vais? e ela, chateada com tal pergunta apenas sorri. E essa maquiagem, e ela desanimada corre para retirar tudo aquilo que ela calculou ser perfeito pra ser linda, quer dizer a mais bela, pensando nele e como ele diria lentamente: que bonita essa guria, e a beijaria a face, ela de sonhar acordada quase caiu na vida real, de um sonho tão perfeito, de nenhum elogio pronunciado.

Para ela, foi mais do que estar arrumada, ou bem produzida como contam por ai, para ela a produção não tinha nem começado, e tudo era um ensaio do encanto  que queria causar antes de tomar sorvete pensava ela, ele há de se apaixonar.

O moço, não reparou na beleza da menina, tão sequer disse algo que a enchesse os olhos de amor naquele dia, nem ditas nem escritas... E o desejo da menina, não apenas de encantar, mas se deixar ser encantada foi adiado, esperando aquele que com surpresa dissesse: Como podes ser tão linda, a luz do dia. Queria ela ser encantada, por quem a olhasse com amor incessante, tão forte quanto o sol que batia em sua janela, enquanto ela sonhava. Um dia, pensou ela.



Nenhum comentário:

Postar um comentário