sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Escolhas, muros e caminhos.


530989_439174172810143_1136303195_n_large

Não deixes que uma direção te molde a ser diferente, que outras cartas no baralho embaralhem os teus propósitos.
O que me dá medo, é de conhecer alguém a vida inteira, e em outro ano conhecê-la de verdade, sem tudo que se omite e se guarda.
Mas da forma que defendi para aqueles que tratava de mim contando os contos desse outrem, sabe o que me da mais medo?
É um dia perceber que não há mais jeito, que não há volta, porque depois que o tempo muda, ou se tem chuva ou sol, depois que a hora passa já não se pode mais concertar o quebrado.
Sabe o que eu percebo? Que a cada decisão de vida, te tenho na cabeça, mas já não se posso pensar da mesma forma.
Não sei se isso seria abdicar por amor ou de amor.
Não sei se a concordância rege você e eu, na dança somos perfeitos, mas no passo só, temo que não, temo de que se eu te visse não reconheceria, saberia ou assimilaria a você.
Sabe o que mais me abala? Viver sabendo de tudo, e dizer que não se sabe de nada... esperar atitudes diferentes esperando a hora da virada, que o conselho faça sentido, que pense em mim nas escolhas, que pense em mim, que pense em mim é o que digo.

Pense em mim em cada passo, porque um dia, eu posso pensar só na minha esquina, na minha vida.
Pra quem já andou tanto de se jogar no muro, percebi que as vezes é melhor ver as opções do caminho.
Não te peço politicamente correto, só te peço inteiro, de carácter, de propósitos, como te conheço, e não como os outros te descrevem.

Pensa em mim, e não se perca no caminho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário