segunda-feira, 5 de dezembro de 2011





E eu penso, toda vez que eu te vejo, o quanto queria a te ajudar.
E o que eu poderia fazer pra mudar esse teu futuro, remar contigo pra outros horizontes, aquele que você se encontre, e junto encontre alegria, Deus, e tudo aquilo que costumava ser.

Por que as vezes eu te olho, e não acredito que sejas mesmo tu, o que o tempo fez? ou foi agente que fez? em que tempo eu te perdi, em que tempo você se perdeu, e se tornou alguém que nunca vi, e os sinônimos entre agente não existe mais.

Volta, procura tua essência, esquece o que dizem, o que querem, volta. Crescer nem sempre é pegar o barco que tem mais gente, vem, e deixa esse mar.

Bruna Lima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário